segunda-feira, 18 de maio de 2009

love will tear us apart


Corria o ano de 1980.

Nas rádios nacionais algo de novo rompia o som habitual. Um misto de Velvet Underground, de The Doors e punk rock. O som era pesado, negro e triste.

Quatro jovens de Manchester não tinham a mínima ideia do impacto que a sua música estava a ter por todo o mundo.

Eram os Joy Division com o album "Closer" e o single "Love Will Tear Us Apart".

Três deles formariam posteriormente os New Order, uma das maiores bandas de todos os tempos.

É que em 18 de Maio de 1980 Ian Curtis, o vocalista, suicidava-se por enforcamento em casa dos pais.



When routine bites hard,
And ambitions are low,
And resentment rides high,
But emotions won't grow,
And we're changing our ways,
Taking different roads.

Then love, love will tear us apart again.
Love, love will tear us apart again.

Why is the bedroom so cold?
You've turned away on your side.
Is my timing that flawed?
Our respect runs so dry.
Yet there's still this appeal
That we've kept through our lives.

But love, love will tear us apart again.
Love, love will tear us apart again.

You cry out in your sleep,
All my failings exposed.
And there's a taste in my mouth,
As desperation takes hold.
Just that something so good
Just can't function no more.

But love, love will tear us apart again.
Love, love will tear us apart again.
Love, love will tear us apart again.
Love, love will tear us apart again.












8 comentários:

apedroribeiro disse...

divino.

Anónimo disse...

Nada como escolher uma das mais banais músicas dos Joy Division para os lembrar. É pena.

Nota: poucas são as pessoas da tua idade a gostar da melhor banda de sempre; muito bem.

Pedro Faria

póvoa de varzim online disse...

Em primeiro lugar a música não é banal. Poderá ser a mais conhecida.

Em segundo lugar, coloca-te no meu lugar: quantos vídeos originais dos Joy Division existem, ou seja, que não sejam gravações ao vivo.

Manda sempre, ainda que com algum défice de inteligência.

Anónimo disse...

E que tal ires buscar o filme sobre eles ? Não é preciso ser muito inteligente; se nos mostrasses os Clash punhas o "Should I Stay or Should I Go". Mas eu percebo-te; estás a trabalhar para a malta nova que nunca ouviu falar dos Joy Division e assim mostras a mais conhecida. Pode ser que gostem e investiguem, não é? Parece-me a táctica da TVI mas enfim ... podias ser mais exigente contigo próprio.

Anónimo disse...

Reparei agora que dizes dos New Order o que eu digo dos Joy Division. Somos diferentes. Ainda bem.

póvoa de varzim online disse...

Quando os New order enveredaram pela música electrónica questionaram Bernard Sumner que tipo de música estariam os Joy Division a fazer se Ian Curtis fosse vivo. Resposta: a mesma.

Isto para dizer que não sei se os Joy Division com dois albuns de originais, o segundo dos quais algo incoerente musicalmente,e um punhado de singles, poderão ser considerados a melhor banda de sempre. É a tua opinião.

Sei que os New Order têm uma carreira de muitos anos, sempre com uma qualidade excepcional, para além dos diversos projectos em que cada um dos músicos participou, como os Monaco de Peter Hook, os Electronic de Bernard e The Other Two de Stephen Morris e Gillian Gilbert. Isso faz deles uma das melhores bandas de sempre, ainda que não se goste do estilo.

A pergunta que eu te deixo,inteligente,é: quantos videos originais os Joy Division realizaram para as respectivas canções?

Citaste os Clash. Esperava que o fizesses sobre uma banda mais recente. Como muitos outros paraste no tempo.

Anónimo disse...

Não parei no tempo; o tempo é que voltou a enveredar pelos revivalismos do início dos anos 80, com outras roupagens. Marketing puro, claro. E sou bem mais novo do que tu

póvoa de varzim online disse...

Já vi que não percebeste a intenção do post, mas a idade não justifica tudo.