quarta-feira, 13 de maio de 2009

são pedro era careca... ...


Um clássico exemplo de destruição do belo património imobiliário que a cidade da Póvoa de Varzim possuía é o Mercado Municipal.

Há umas semanas, num jornal local, alguém identificou o arquitecto responsável por este crime. Esse tipo deveria pedir desculpa e o seu nome ser banido das referências a arquitectos.

Macedo Vieira anda cheio de ideias que não passam disso mesmo. É o centro histórico da Matriz, é o Garrett, é o Parque da Cidade que vai ser um Parque Desportivo e não de lazer, é a importação de Serralves que foi um fiasco, enfim, é um rol de redondos falhanços.

A falta de dinheiro fê-lo recuar no projecto de reconstruir os dois belos torreões que um arquitecto resolveu destruir para implantar o mamarracho em pleno centro da cidade.

Obras de “pó de arroz” resolveriam o problema: duas de mão por fora e umas valentes estocadas por dentro e tínhamos a gestação de um “novo mercado”. Total deboche sobre a cara dos poveiros em geral, e dos comerciantes em particular.

Finalmente estão prontas as tão aclamadas obras, mas da sua inauguração nem sinal: a fanfarra, as tricanas a dançar, os acompanhantes laranjas do costume, e a plaquinha alusiva ao evento com o nome do caudilho em destaque, nada.

De repente lembrei-me: está próximo o São Pedro.

Como este ano foi o mais pobre de sempre de Macedo Vieira, no que a obras diz respeito, felizmente, eis que, sim, será o Mercado a grande obra a inaugurar na querida data dos poveiros.

Que nunca se preocupem os cidadãos: com Macedo Vieira há sempre festa na rua.






4 comentários:

Anónimo disse...

Manuel Vaz, teimoso como os de agora, deixou-nos este legado. Até há quem tenha levado os portões de ferro e os candeeiros para as suas quintas

Anónimo disse...

Lá está!
eheheheheh
eheheheh
eheheh
eheh
eh

Anónimo disse...

Mas... Tony... num seijas assim tam mau, carago!
Tu num bês que aquilo agora num é o mercado, mas sim o centro da talassoterapia que se falaba aqui há uns anos atrás... tanto azuleijo azule, aquilo bai ser um fatuote de banhada, moço!

CÁ FICO disse...

Finalmente quase dois anos após ter dito algo a Assembleia municipal sobre o assunto ..mandaram arranjar o Mercano municipal...
ainda bem...mas os jornalistas só se preocuraparm com a mangueira que afinal não jorrava leite em laúndos...eh1eh1..tenho memória de elefante e cópia das fotos...