quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

ganho todas as sondagens!

400 votantes disseram, sem qualquer margem para dúvida, que eu devo continuar a escrever em blog, e apenas 43, no que não representa sequer o universo dos militantes do PSD da Póvoa de Varzim, votaram no “não”.

Isto significa que há muitos poveiros simpatizantes do partido no poder que vêm com agrado a publicação dos meus textos, indo desta forma contra a perspectiva daqueles que pretendem calar-me.

Estas são, basicamente, as duas conclusões a retirar da sondagem publicada neste novo, mas não renovado, povoaonline.

Assim como eu pretendia saber o que pensam os poveiros, já antes de mim Macedo Vieira, face ao seu medo e indecisão, também estava a preparar um estudo de opinião sobre se deve ou não candidatar-se a um quinto mandato.

Segundo palavras suas “os poveiros é que vão dizer se ele deve ou não… …”.

Como esse "estudo de opinião" nunca mais sai, presumo porque lhe conferiu um resultado negativo e ele, face a isso, não o tornou público, o que não deixa de ser uma atitude inteligente, pouco vista aliás nas posições políticas de Macedo Vieira, eis que eu, de forma gratuita, pretendo ajudar o Macedo Vieira a decidir-se de uma vez por todas:

Durante dez dias os leitores poderão votar precisamente nesse sentido:

Deve Macedo Vieira candidatar-se a um quinto mandato?

Sim.

Não.

Você manda leitor.












12 comentários:

Anonymous disse...

Tem-se falado aqui (incluindo os blogs fechados) tao mal da Póvoa e dos políticos: da avenida que cortaram as árvores, das salmonelas, do etar, o parque de estacinamento, etc.
Têm-se feito tantas perguntas para depois serem pretexto para dizer mal: se o Dr. Macedo Vieira deve continuar a sua candidatura, se o blog deve continuar...
Estamos no Natal! Que tal agora uma coisa mais construtiva? E que tal um post a perguntar ao povo da Póvoa o que querem para a sua cidade?
Lanco aqui algumas sugestoes:
- Árvores para a Avenida dos Banhos junto ao mar
- Um grande parque na cidade ou lá próximo onde as pessoas pudessem ir passear
- Um museu do pescador em homenagem às gentes das Caxinas
- ... (se eu me lembrar mais eu direi)

Sérgio Postiga disse...

Claro que o Dr. Macedo Vieira tem que se recandidatar.

Então prometeram-me um empregozinho para eu tratar da minha associação e estar na Câmara e assim não ter que andar sempre para lá a correr e agora ele não se candidatava?

Nem pensar,

saudações nortenhas

povoaonline disse...

Árvores para a Avenida dos Banhos. Concordo. E depois quem as mantem?

Parque da Cidade dispenso. Já tenho a marginal que não troco por nada. Os que quiserem ir para o Parque da Cidade passear, têm o meu total apoio. Quantos menos a conspurcar a marginal melhor.

Museu do pescador. Está poreiro. Mas os pescadores querem pescar e não museus.

Basta olhar para a vereação e ver a quantidade museus inúteis.

Eh eh eh!

Anonymous disse...

Da minha parte devo dizer que já me sinto satisfeito pelo facto de alguém ter comentado sobre o meu comentário. É um ponto positivo, alguém lê o que eu escrevo e critica. Pode ser o início de uma discussao positiva.

Abro aqui um parêntesis apenas para responder a esse comentário com o seguinte:
- As pessoas que deveriam manter as árvores da Avenida dos Banhos acho que deveriam ser as mesmas que tomaram contam das árvores da Av. Mouzinho de Albuquerque. Eu assumo que nesta altura essas pessoas devem estar às moscas. E se as árvores da Avenida dos Banhos forem bem escolhidos, as intervencoes sao mínimas. Nao faltam por aí exemplos disso!
- Um parque da cidade nao iria trocar a Avenida do Banhos. Era apenas um complemento e até uma compensacao para o abate das árvores na Av. Mouzinho de Albuquerque,
- Já agora, eu nunca entendi, qual foi verdadeiramente o problema de se abater as árvores na Av. Mouzinho de Albuquerque? Destruiram um local de lazer? Nao me parece, pois as árvores nem abrigavam com sombra os passeio por onde as pessoas passavam. Elas ficavam no centro da avenida. Destruiram um local de natureza? Fiz duas propostas identicas, o parque e as árvores na Avenida dos Banhos, mas ninguem se entusiasmou! Destruiram uma beleza local ou um local histórico? Bom, eu achava muito mais interessante um museu ao pescador, mas o entusisamo foi muito pouco. Quando a Avenida tinha as árvores, eu passei lá algumas vezes e ninguem ligava aquilo. Quantos de voces foram para lá passear e quantas vezes para lá foram de propósito só porque tinha lá as árvores? Para mim, a última explicacao só pode ser política... ou nao é assim?
- OK, os pescadores necessitam de algo? Venha daí! Eu tenho ouvido dizer (atencao: eu nao tenho factos que comprovem isso, sao apenas "bocas". E sem factos, nao tenho nada contra ninguem. Além disso, o que vou dizer nao é uma crítica para ninguem) que os presidentes de câmara da Póvoa e de Vila do Conde têm ganho porque dao tudo o que os pescadores pedem. E pelos vistos eles lá sabem pedir... e os presidentes lá sabem ganhar!
- Quando eu propus o museu, nem estava a pensar nos pescadores, mas sim nos turistas, que no Verao sao muitos e gostam certamente de conhecer um pouco mais sobre a regiao e nao só a andar a apanhar sol! E a gente sabe o quanto sobe a economia durante o Verao na Póvoa. Se calhar mais que o peixe vendido no mercado em um ano inteiro! Basta olhar para os precos dos arrendamentos dos quartos e dos apartamentos!!!

Mas retomando o que eu queria dizer, permitam-me que eu deixe aqui uma pequena história, à laia de conto de Natal. Há muitos anos um velho levou um neto a uma feira para vender um burro. Passou por várias aldeias onde todos criticavam a forma como o avô e o neto aproveitavam o burro na viagem: se nao montavam o burro é porque eles eram burros, se um montava, coitadinho do outro, se os dois montavam, coitadinho do burro,... até que avô e neto decidiram carregar eles próprios o burro...

Todos se mostram aqui descontentes com a Póvoa e por isso eu pensei que o meu comentário traria ainda mais propostas entusiásticas, discussoes viscerais, etc. Desiludi-me! Até agora ninguem se chegou à frente para dizer "Nao, eu quero isto para a Póvoa:..." nem me parecem entusiasmados. E o Dr. Macedo Vieira, coitado, toca de colocar processos em tribunal, porque nao encontra melhor!

Meus amigos, a Póvoa é vossa! Vocês é que sabem o querem para ela! Se querem simplesmente continuar a dizer mal... a denegrir a imagem da cidade e de certo modo a destrui-la (e acreditem, nao é só a imagem dos políticos) e continuarem nas vulgares e fáceis discussao de "bota abaixo" ou... se querem participar com entusiásticas discussoes sobre o que desejam relativamente à Póvoa e contruir alguma coisa de útil para vosso interesse e para a posteridade.

E já agora, um presente de Natal, que nao sendo sobre a Póvoa, vem mesmo a calhar aqui, principalmente na citacao da parte final "O que faz você pelo seu país [neste caso seria pela Póvoa] que justifique o seu descontentamento?": http://aeiou.expresso.pt/gen.pl\?p=stories&op=view&fokey=ex.stories/481813

Um Feliz Natal e votos de uma Póvoa melhor para o próximo ano de 2009

povoaonline disse...

Quem de repente ler o seu comentário até vai achar que as árvores constituem um ponto turístico de visita de uma cidade.

Então ninguém ligava às árvores da avenida?

Essa é boa. Só faltava essa mesmo.

Com três jornais a elogiar a cidade e o trabalho do Macedo Vieira, como é que um blog vai denegrir a sua imagem, da cidade?

Já se esqueceu como era a Póvoa?

Eu um dia vou-lhe mostrar em fotos o grau de destruição que estes políticos de meia tigela concretizaram.

Anonymous disse...

Em primeiro lugar eu quero esclarecer que salvo uma boa justificacao, sou contra o abate de qualquer árvores e quando isso é necessário fazer deve-se procurar sempre compensar.

Agora nao me tentem enrolar.
Exercício da 4 classe: "As árvores da Av. Mouzinho de Albuquerque fazem falta porque..." agora preencha p.f.

Nao me venha com histórias de "Essa é boa..." ou com tristes fotografias de um qualquer estaleiro de obras ou com imagens da actual Av. Mouzinho de Albuquerque que já vi várias vezes. Nao é isso que está aqui em questao. Eu no meu comentário anterior tentei fazer um exercício para entender porque é que vocês estao a discutir o abate das árvores da Av. Mouzinho de Albuquerque. Se nao souberem completar aquela frase é porque vocês nao sabem porque é que estao a discutir o abate das árvores. Estao a discutir o sexo dos Anjos com Roma a horas de cair nas maos dos Bárbaros.

E já agora nao nos perquemos nas árvores da Av. Mouzinho de Albuquerque: "Eu gostaria que a minha cidade da Póvoa de Varzim fosse da seguinte forma..."

povoaonline disse...

"As árvores da Av. Mouzinho de Albuquerque fazem falta porque..."

As árvores não fazem falta. Nada faz falta. Tudo deve ser enquadrado numa harmonia e isso é que não existe na cidade. É tudo em cima de joelho.

Não fazem falta as árvores, não fazem falta os jardins, não fazem falta os bancos junto à praia, não fazem falta os apoios de praia, como Diana Bar, Guarda Sol e Hit, não fazem falta parques subterrâneos, nem à superfície.

Pela sua perspectiva é assim. O problema é que nada é estudado, e a evolução da cidade tem sido desastrosa. E é aqui que eu pretendo chegar com as fotografias, que não são as que o senhor está a pensar.

Ninguém falou neste post sobre o abate das árvores da avenida. Quem falou foi o senhor.

E completando a sua última frase, sabe que não estamos no mundo do "gostaria que...". Isso são pedidos ao Pai Natal.

Aqui é: como foi possível destruir uma cidade que ra bonita?

Nós tivemos tudo nas mãos para fazer da Póvoa uma linda cidade. Mas não quisemos. Agora vem-me com a história de "como gostaria que fosse...?" Como eu gostaria que fosse já foi. Eh eh eh!

Anonymous disse...

OK, eu concordo que em alguns pontos da cidade, avaliando pelas fotografias que já publicou, existe uma certa falta de harmonia. Prédios altos ao lado de casas de 2 andares, é um pouco estranho.

Agora parece-me que quer voltar à póvoa dos anos 70. Meu caro amigo, isso nao é mais possivel! Porquê? Porque existem carros, porque a classe média aumentou o seu poder de compra e por exemplo gosta de ir à praia, porque a populacao aumentou, etc, etc.

Mas a boa notícia no meio disto tudo é que é sempre possivel voltar a fazer a cidade como uma cidade bonita. O "gostaria que..." nao dá tudo, mas é o princípio de algo que pode ser construido ou reconstruido sem esquecer a realidade actual.

É assim como o automovel VW carocha, lembra-se? A VW certamente nao vai reconstrui-lo, mas criou uma versao com o mesmo estilo adaptada às tecnologias modernas.

Quer pensar nisto e quer ao menos tentar para ver o que dá e o que se aprende daí?

povoaonline disse...

Mas explique-me lá algo que o Macedo Vieira gosta tanto de citar nas suas entrevistas:

Por que razão imensas cidades espanholas, italianas, francesas, alemãs, etc, têm um valiosíssimo centro histórico?

Será porque destruíram os velhos carochas e apresentaram outros renovados? Ou será porque os velhos carochas foram mantidos na traça original e recuperados com todo o cuidado tornando-os património nacional?

O que acha que aconteceu na Póvoa?

Anonymous disse...

Conhece esta imagem?
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/en/1/18/The_Goodness_overlooking_Dresden.jpg
Repare bem no fundo dela.
Nao, ainda está muito longe de ser a Póvoa no final do último mandato do Dr. Macedo Vieira!

Esta foto é de 1945 da cidade alema de Dresden, na parte leste, após o bombardiamento dos ingleses, quando a guerra estava praticamente no fim e ganha.
A história está toda aqui:
http://en.wikipedia.org/wiki/Bombing_of_Dresden_in_World_War_II
Se pensa que esta cidade comecou logo a ser reconstruida, desengane-se. O comunistas Russos enquanto tomaram conta da cidade praticamente nao a reconstruiram. A cidade até à queda do muro de Berlim era, segundo ouvi dos próprios alemaes, um campo de ovelhas a pastar. A reconstrucao foi feita a partir de 1989 com a queda do Muro de Berlim e da Cortina de Ferro. Eu vi a cidade como um verdadeiro estaleiro de obras a ser reconstruida em 1997. Foi há 10 anos. A Frauenkirche, um dos maiores símbolos da cidade, foi reconstruida agora recentemente para os 800 anos da cidade após um referendo.
Hoje é uma cidade com transportes públicos 24 horas e de 10 em 10 minutos durante o dia, preparados para deficientes, passeios em toda a cidade, pistas para bicicletas, uma das melhores óperas do mundo, um parque no centro da cidade enorme onde se pode andar de patins, uma pista só para bicicletas e pioes na beira do rio Elba até à fronteira da República Checa a 60 km (onde os alemaes gosta de ir beber as suas cervejas, que sao mais baratas), uma actividade cultural intensa com cinema junto ao rio ao ar livre no verao, com festival de música internacional em Agosto (Lisboa foi tema há uns anos atrás com os Madre Deus, etc, etc), com um dos maiores mercados de Natal ao lado de Noremberg, etc, etc, etc.
Leia e depois visite-a quando tiver oportunidade:
http://en.wikipedia.org/wiki/Dresden#Second_World_War

Agora diga-me, das cinzas de uma cidade, pior que a cidade da Póvoa, nao é possivel reconstruir uma nova cidade, com o conforto da modernidade e mantendo a traca antiga? Quantos exemplos como este necessita? Dou-lhe tantos exemplos como as cidades da Alemanha: Berlim, Noremeberg, Munique, etc, etc.

Vá lá homem, você consegue melhor do que isso. Consegue apontar os defeitos da Póvoa, mas consegue também propor melhorias, ou nao consegue? De que é que tem medo?!
Que Dresden lhe sirva de coragem!!!

povoaonline disse...

Está a querer dizer que a Póvoa foi destruída tal como Dresden? Eh eh eh! Está a dar-me razão.

Na descrição que fez de Dresden após a reconstrução, quer dizer que a Póvoa ainda pode vir a ter a mesma vida que a cidade alemã?

Depois eu é que sou sonhador!!!!

Vou-lhe dar um exemplo que futuramente ilustrarei com fotos:

Ao lado do Palácio Hotel, no prédio da esquina da rua dos Cafés, tem uma placa do género "AQUI VIVEU FULANO... ..."

Como a casa em que FULANO viveu foi destruída e em vez dela construíram aquele mamarracho, não acha que é um insulto ao visado, directamente, e a todos os poveiros, indirectamente, a manutenção da placa?

Fale homem. Fale da sua cidade. Não fale das outras. Não faça como a Maria do Mar que para dizer mal da Póvoa foi elogiar Vila do Conde. Eh eh eh!

Anonymous disse...

A minha reposta vem no post http://povoa-online.blogspot.com/2008/12/saudades-do-futuro.html