sexta-feira, 18 de setembro de 2009

quem manda?


Às vezes penso que não vale a pena escrever sobre determinado assunto, o qual por ser tão óbvio nem merece qualquer reflexão, mesmo porque fico com a ideia de que todos os poveiros já se aperceberam da situação.

Mas de repente, lá está, isto tem muita graça, isto tem de ser abordado, isto é hilariante. E sou obrigado a tecer um breve comentário.

Aqui vai.

Macedo Vieira é novamente candidato. Nessa qualidade é evidentemente da sua responsabilidade a escolha dos componentes da lista que ele antevê ganhadora.

Ora das duas uma:

Ou Macedo Vieira não sabia da sentença do Tribunal Constitucional que tem data de 6 de Março de 2008, conforme publicação do Peliteiro, porque Aires Pereira não o informou, o que é algo que coloca em causa o seu poder de liderança da autarquia.

Ou sabendo da condenação definitiva do seu número 2, alinhou no comportamento desviante do vereador, o que também coloca em causa a sua idoneidade ética e moral para estar à frente da gestão da cidade.

Seja em que circunstância estiver, Macedo Vieira não surpreende na sua indignidade política. Os poveiros já se habituaram a estas tropelias do chefe.







4 comentários:

Manuel CD Figueiredo disse...

Para poupar tempo, peço que considere os meus comentários no blog "cá-70".
Só um acrescento: há também o problema da CONFIANÇA entre Macedo Vieira e Aires Pereira,que é posta em causa.

Anónimo disse...

Mas será que alguém, minimamente inteligente, acredita que o Aires fêz o que fêz no caso Dourado sem previamente o ter acordado com o Macedo????

O momento da acção foi previamente estudado entre o Macedo, o Aires e o Dourado por forma a que o Macedo não saisse chamuscado dela, por isso quando foi ao Brasil, logo ausente e defendido, é que o Aires, interinamente presidente, moveu o processo disciplinar ao Dourado e tudo mais que é do conhecimento público.

Convém não esquecer que o Macedo e o Dourado são amidos de longa data; ainda me lembro dos tempos em que o Diana Bar era o café/ sala de visitas da Póvoa e diariamente (digo sem falhar muito: todos os dias quase sem excepção) existiam, tanto depois do almoço como do jantar, duas ou três tretulias bem definidas e localizadas no interior do espaço, mesmo em frente ao balcão.

Quem entrava no Diana e seguia pelo seu corredor central até ao balcão encontrava na última mesa do lado direito o grupo do Macedo, do Dourado, do Trocado e de outros camaradas afectos ao PCP e do lado esquerdo duas ou três tertulias de "putos" que então ainda estudavam onde o Aires tinha assento, era-mos uns jovens então!!! e tanto macedo como dourado já faiam parte da tertulia dos "velhos do Diana (para não dizer Restêlo)"!!!!!

apedroribeiro disse...

Fora com o Aires e com o Macedo!

Anónimo disse...

Uma vez que já ninguém vem cá comentar este blog, deixo um comentário pa dar uma forcinha ao Tone... Eheh. Força Tone!!! Continua a tua saga.