quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

psd solidário


O PSD da Póvoa de Varzim estava alarmado. A apresentação da candidatura do Zé Maio à Junta de Freguesia e a possibilidade de Luísa Tavares Moreira se apresentar como candidata do PS à Câmara Municipal alarmou os mais optimistas quanto à vitória do partido e obriga a uma recandidatura de Macedo Vieira, ele que preferia sair nos, para alguns poucos, imaculados 16 anos de poder.

Macedo Vieira vê-se na contingência de ter de fazer 20 anos de poder e, dessa forma, ver-se conotado com a alteração legislativa sobre a limitação de mandatos, algo que o perseguirá para o resto dos seus dias e fará dele um dinossáurio autárquico, ao lado do pior que por aí existe.

Uma faca de dois gumes.

Para reunir as tropas foram todos jantar à Casa da Estela, ao preço de 20 Euros e onde Macedo Vieira, de forma triunfante, passou um cheque de 5 000 Euros para pagar as despesas do jantar e assim aliviar os bolsos dos ricaços e ladrões que lá se encontravam e agravar a tesouraria da Câmara que cobra taxas e impostos a todos os trabalhadores da nossa terra.

Tal e qual: Macedo Vieira deu 5 000 Euros em representação do Município utilizando dinheiro que é dos contribuintes, cada vez mais sufocados com a crescente crise mundial.

Se estavam mais de 540 comensais, o que não acredito, qual a razão por que se não cobrou 30 Euros pelo jantar, o que daria mais 5 400 Euros. Ninguém iria notar a diferença entre 20 e 30.

Mas Macedo Vieira tinha de aparecer triunfante, com o cheque de 5 000 Euros.

Toda este teatro da pobreza é lamentável quando todos sabemos que ainda recentemente a Câmara atribuiu a Rates e a Balasar, para as respectivas equipas de futebol, 25 000 Euros e ainda pagou metade da carrinha que foi comprada para equipa de Futsal, a tal que foi constituída por iniciativa da Câmara, que agora diz que dá apoio a metade, e a outra metade quem paga?


A Câmara claro, ou vão dizer que foi um patrocinador.

Se dizem que foi um patrocinador, patrocina porquê?

Porque presta serviços para a Câmara.

No meio disto tudo um jornal que se intitula isento e de esquerda, antifascita, republicano e defensor dos interesses locais, ou seja, um trengo de um jornal, faz desta palhaçada manchete, como pode ver na foto.




5 comentários:

Anónimo disse...

Muito lúcido e assertivo.
APOIADO!
A PÓVOA PRECISA DE MUDAR!

Anónimo disse...

É verdade, donde veio o dinheiro para pagar os direitos desportivos à Juve Norte, terá sido o Sr. João Rocha do seu bolso? Duvido! Donde veio o orçamento de 150 000 mil euros/ano que o Futsal tem terá sido o Sr. João Rocha ou os poucos patrocinadores que têm? Ou terão sido os empreiteiros que devem favores ao Sr. Aires Pereira. Quanto à questão das carrinhas é tudo uma fantochada, se não fosse uma Associação saber de antecedência que iria ser atribuído 50% de subsidio para a compra de uma carrinha, nunca as outras associações do concelho teriam recebido uma carta da Autarquia a oferecer o mesmo. Mas cuidado oferece os 50%, mas em pequenas prestações mensais..... He! He! Essa carta foi para se antecipar de qualquer tipo de reclamação por parte das associações. E ainda na ultima reunião de câmara deram mais 15000 euros para o Póvoa Futsal, dizendo que seria para as escolinhas e formação, Ha, Ha, deixem-me rir. Andámos nós contribuintes a pagar para se criarem equipas profissionais patrocinadas pela câmara, que vergonha!!!!!

Anónimo disse...

Só não concordo com o título do post. Deveria ser "PSD e PS solidários". É que do PS, estavam lá todos também: o Renato, pai e mãe, Rui Terroso, Sousa Lima, comandante Figueiredo, já nem me lembro de mais. Fica bem rearranjar o enquadramento da foto para não se verem esses elementos, não é? Ide dar banho ao cão!

Anónimo disse...

Não sei quem escreveu este último comentário. Sei que é anónimo. Mas é de um anonimato esclarecedor. No melhor estilo poveiro, do PSD. Confundir, insinuar, baralhar, para disfarçar.
O Jantar era para reunir fundos. Todos podiam e deviam estar presentes. O que Não estava previsto, o que não é admissível, foi a atitude de Macedo Vieira. Se queria dar alguma coisa, que o fizesse do seu bolso. E ficava~lhe bem se fizesse com discrição. Depois do que dá aos clubes de futebol, 5 mil euros para uma obra deste género, é pouco. Muito pouco. Por isso, e só por isso, é que os anónimos querem baralhar. Eles lá sabem ao que os mandaram.

povoa de varzim online disse...

A foto é a do jornal. Reclama para lá.