quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

dois excelentes textos




GASOLINA OU GASÓLEO ?

Sobre o novo posto de abastecimento de combustíveis, que atravanca e desfeia a moderna Avenida 25 de Abril, muito se tem lido e falado: leu-se nos jornais e nos blogues, ouviu-se nas rádios e nos cochichos. E foi assunto falado na Assembleia Municipal!

Contrariamente ao que muitas pessoas possam pensar, nesta altura dos claros esclarecimentos eu até aprovaria a ideia da bomba pertencer ao presidente da Câmara, a seus familiares ou amigos.

Parece estranho, mas não é!

Vejamos!

Se o posto de abastecimento pertencesse, como parece, a uma empresa ou a outrem, os preços dos combustíveis e serviços seriam iguais ou superiores aos da concorrência, porque o objectivo será o lucro (e quanto mais, melhor).

Se, como bisbilhotam, "aquilo" for pertença dos referidos visados, haverá a garantia de termos os preços mais baixos das redondezas, porque a sua intenção será prestar um serviço à população. Uma espécie de serviço público.

Até poderá vir a acontecer que uma boa parte dos proventos da bomba reverta a favor de instituições poveiras carenciadas.

Afinal, tudo pode acabar da melhor forma, se este raciocínio estiver certo.

De quem é a bomba?




Coliguem-se!


Macedo Vieira foi eleito pelo PSD mas é um homem de esquerda. Há uns anos seria, com certeza, do MDP-CDE ou do LUAR, depois talvez do MES, e agora, por mero acaso e oportunismo, é do PSD. Defende uma forte intromissão do Estado na economia, cita Marx e Mário Soares, defende o proteccionismo e a xenofobia e repudia por completo o liberalismo económico.

Macedo Vieira é admirador de José Sócrates, porventura admira a sua classificação em Inglês Técnico, a Universidade onde se licenciou, os projectos dos prédios que desenhou e até a rapidez com que permitia que se aprovassem projectos ambientais a dias das eleições. Macedo Vieira adoraria ter inventado um Magalhães.

Macedo Viera exibe tendências autoritárias, totalitaristas, rodeia-se de medíocres yes men e não convive bem com a crítica nem com a liberdade de expressão.

Macedo Vieira é Presidente da Câmara mas foi sócio gerente de uma imobiliária; Macedo Vieira nomeia para empresas municipais gestores que o seu executivo reformou compulsivamente.

Macedo Vieira não respeita as pessoas, constrói um enorme depósito de água por cima de habitações licenciadas, deixa em funcionamento piscinas contaminadas por Legionela e aceita que os esgotos da cidade sejam lançados directamente para o mar.

Macedo Vieira não tem uma ideia estratégica para o Conselho e limita-se a fazer obras, de gosto duvidoso, no centro da cidade. A história não o recordará a não ser pelos mamarrachos que vai permitindo.

Macedo Vieira não tem amigos mas tem muita gente, muitas colectividades que lhe devem atenções. Macedo Vieira vai ganhar as próximas eleições. Como qualquer outro cacique em Portugal.

Eu, militante do PSD há 20 anos, nunca votarei neste candidato do PSD. A minha animosidade para com ele nasceu no dia em que o ouvi, por acaso, dizer na rádio que um homem tinha sido assistido prontamente nas piscinas municipais quando eu o vi, durante minutos, inerte, a caminho da morte e sem nenhuma assistência. Desde aí fui assistindo atentamente às suas actividades e ouvindo o que se diz à boca calada. Nunca votarei em Macedo Vieira.

Assim, assumindo que a vitória de Macedo Viera é certa só me resta apelar a todos os partidos, a todos os movimentos de cidadãos: coliguem-se, juntem energias e defrontem o cacique em conjunto. É o interesse dos Poveiros que está em causa.






7 comentários:

Anónimo disse...

Com este texto o PS já encontrou o seu candidato: Zé Macedo Vieira, convidem-no ou apoiem-no!!!

Anónimo disse...

falta inteligência ou literacia a algum laranjal para perceber o alcance dos textos...

Anónimo disse...

Ou será que os textos têm uma literacia tão limitada e pouco inteligente que até dá tiros nos pés???

Aprendam a escrever!!!

Antibomba disse...

O Macedo que meta a bomba no buracú!

Anónimo disse...

Porque será que os aparelho/dependentes quando fazem um recado só mostram má criação e estupidez natural? Será pedir muito que vão dar banho ao cão!?
Os textos em causa, são assinados, são de pessoas que até nem são benquistas lá dos patrões da camara, mas são interessantes no uso da ironia. Com a banhada do caso IDIOTA, o que era um problema de Macedo e Aires parece estar virando entre as hostes laranjas da póvoa, surto epidérmico. Sintomas:- confusão permanente entre o uso da ironia e o ataque ao chefes.

Anónimo disse...

Não dizes coisa com coisa, pá!, quem tem que ir dar banho ao cão és tu!

Anónimo disse...

Tens razão. O cão é um dos animais de que gosto. Vai só dar banho a ti mesmo. Ou então vai passear. Poder ser que o teu chefe te veja. Mas não abras a boca.